Recriando o sentido de ‘Casa’ para o Final do Ano daqueles que experienciam a Mobilidade Global: Celebrar Tradições e Reconhecer o Luto Migratório

Share on facebook
Share on google
Share on twitter
Share on linkedin

Algumas semanas atrás, muitos nos Estados Unidos comemoraram o Dia de Ação de Graças, Thanksgiving, sinalizando o início de vários feriados de inverno no hemisfério norte. A história por trás do Dia de Ação de Graças é complicada, problemática e violenta, cuidadosamente articulada pela autora da SIETAR-USA, Emily Kawasaki em seu recente artigo Everything you Wanted to Know About American Thanksgiving. E o Dia de Ação de Graças também serve como um ponto de partida para discutirmos as complexidades dos feriados para aqueles que estão fora de seu país de origem nessa época do ano.

No alt text provided for this image

As festas representam momentos sentimentais e especiais, e são acompanhadas por memórias difíceis e nem sempre doces. Além dessa complicada combinação de sentimentos, expatriados, imigrantes e nômades globais enfrentam a camada adicional do luto migratório – o sentimento de perda associado a viver fora de sua terra natal e a lembrança de que você não está mais em um contexto familiar. Dito de outra forma, os entrevistados do The Migratory Grief and Loss Questionnaire (MGLQ) descreveram o luto migratório “como ter uma parte de mim cortada” (Casado, et al. 2010). A dor que permanece pode ser comparada à dor fantasma em um membro que sofre amputação. Na verdade, qualquer pessoa que passou férias significativas fora de “casa” – ou de uma de suas casas – vai entender as saudades que surgem nesta época do ano (e outras épocas também, dependendo de onde e quando suas tradições culturais e rituais são celebrados).

Além de reconhecer a realidade psicológica do luto migratório, como recriar a sensação de “casa” durante as épocas festivas? Depois de anos vivendo e trabalhando com famílias internacionais, descobrimos algumas dicas para ajudar famílias globais.

Descubra a essência do que é importante para você sobre o feriado / tradição

Pergunte a si mesmo e converse com sua família sobre o que é realmente fundamental sobre o feriado / tradição. É o momento de estar com pessoas queridas? Comer alimentos tradicionais? Assistir a um evento esportivo? Participar de uma cerimônia religiosa? Comemorar de alguma outra forma específica para sua família? Identificar o que é mais importante em um feriado / tradição específica permite que você crie espaço para todos os sentimentos e memórias que você e sua família está vivenciando e também ajuda a imaginar a melhor maneira de seguir em frente.

No alt text provided for this image

Sabemos, por exemplo, que uma das celebrações mais difíceis para os brasileiros quando moram no exterior é o Réveillon. Por ser talvez o único país do mundo onde todos se vestem de branco e fazem grandes festas, os brasileiros no exterior sentem falta de comemorar o início de um novo ano com todas as tradições espirituais / místicas e principalmente, a alegria e o calor que costumamos vivenciar nas festas do ano novo no país.

Adapte o feriado / tradição ao seu novo ambiente

Re-imaginar um feriado / tradição em um novo contexto pode dar uma nova vida a uma situação antes melancólica. Mesmo que a adaptação não saia da maneira que você esperava, será uma excelente história no futuro!

Para Adrienne, a essência do dia de Ação de Graças inclui comer comida caseira com pessoas de quem ela gosta. Ela descobriu isso após várias experiências frustradas de como comemorar o Dia de Ação de Graças no Brasil;  desde uma tentativa fracassada de comer em um restaurante americano, quando então ela descobriu que as reservas tinham sido feitas meses antes e já não havia mais lugar, até produzir um churrasco-Thanksgiving híbrido com torta de abóbora feita a partir do doce de abóbora brasileiro.

Se você estiver disposto a ser flexível, colherá os benefícios de reinventar as festividades, como por exemplo, desenvolver sua própria autoconsciência cultural com base em perguntas a participantes novos na tradição, ou mesmo receber convites de outras pessoas com mentalidade global desenvolvida que procuram compartilhar  experiências e conexões internacionais.

No alt text provided for this image

Faça um ou dois pratos tradicionais que sejam significativos para você e sua família

Nem sempre é possível preparar um banquete elaborado ou cozinhar aquela receita especial secreta da família, mas com criatividade e um pouco de planejamento e pesquisa nos supermercados locais, é muito possível criar um prato com um sabor festivo. Uma vez que o sentido do olfato está mais intimamente ligado à memória, e nosso paladar está interligado ao olfato, preparar um ou dois pratos é uma forma de estimular quimicamente a sensação de estar mais perto de “casa” e de ficar entre queridos distantes. Se cozinhar não é a sua praia, ou se não é possível preparar algo sozinho, considere pesquisar restaurantes em que você possa fazer pedidos. Muitas vezes, embaixadas e consulados promovem festas em feriados nacionais.

O importante é ser realista sobre os tipos de celebrações que podem ser produzidas em seu ambiente atual, sua capacidade emocional e as circunstâncias familiares. Em alguns anos, isso pode inclusive significar não fazer, e está tudo bem. Mas se você quiser, nossa recomendação é escolher algo para celebrar, por menor que seja a ação, para que você e sua família tenham uma forma de reconhecer esses momentos tão cheios de significados emocionais para a grande maioria.

Dito isso, não podemos esquecer que todos nós seremos obrigados a reinventar nossas celebrações para o final do ano de 2020 devido à Covid. Infelizmente, e por razões muito tristes, todos nós seremos um pouco estrangeiros às comemorações desse ano, se é que poderemos chamá-las assim. Como “consultores de adaptação”, buscamos usar o nosso know-how para ajudar as pessoas a procurarem sempre os aspectos positivos e de aprendizado mesmo nas situações mais difíceis. Nesse sentido, convidamos vocês a refletirem sobre as tradições culturais, celebrações, encontros familiares que sempre tiveram importância em suas vidas e usarem a “falta de clima” desse ano para reconhecer o quão fundamentais os rituais são para nós, seres humanos, independentemente da perspectiva cultural que utilizamos para celebrá-los.

Seja qual for a forma que você escolher para comemorar (ou intencionalmente não comemorar), nós da Differänce Intercultural desejamos a vocês e suas famílias um ótimo final do ano cheio de saudade e paz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *